A tragédia que levou essa menina de 7 anos ao hospital vai te deixar boquiaberto.


A britânica Madison Gulliver, de 7 anos, estava com a família de férias no Egito. Como é de costume no hotel em que eles ficaram, ela recebeu uma tatuagem temporária, feita de henna, em seu braço esquerdo.


O problema foi que, algumas horas depois, Madison reclamou que o local da tatuagem estava coçando. Não demorou muito para a coceira evoluir para dor.

A pele de Madison começou a apresentar erupções na área em que estava a henna e rapidamente ela foi levada ao hospital.

Depois de alguma investigação, Madison foi internada na área de queimados. Concluiu-se que ela teve queimadura química por conta de um corante adicionado à henna para escurecer a tinta e fazer a tatuagem durar mais, o para-fenilenodiamina (PPD).

O PPD pode ser encontrado em diversos produtos usados sem necessidade de controle porque a quantidade é muito pequena. Porém, se o uso é intenso, como no caso do escurecimento da tatuagem, pode causar queimaduras profundas. Os médicos que atenderam Madison temem que ela fique com cicatrizes permanentes. Torcemos para que sua recuperação seja completa.

Atentem para o uso artesanal do PPD, pois as consequências podem ser irreversíveis!